Novos Desafios para Empresas e Universidades

Novos Desafios para Empresas e Universidades

A cada dia tem mudando aquela ideia que basta alguém ser muito inteligente ou tecnicamente preparado que ele, automaticamente, terá sucesso na profissão. Atualmente, muitas coisas têm mudado e uma delas é o olhar integral que se tem para o ser humano. Esse fato tem alterado o perfil de colaboradores que conseguem promoções, postos melhores e cargos de liderança dentro das empresas. Além da habilidade técnica na sua área, valoriza-se a capacidade de administrar conflitos e a disposição de aceitar novos desafios da empresa. É a chamada resiliência. O mundo está mudando e o profissional que deseja sucesso em sua carreira deve estar atento às novas demandas do mercado e da sociedade.

O serviço de Coaching WTS executivo com empresas e gestores têm me revelado o perfil dos profissionais que as empresas têm buscado para cada setor. Em muitos momentos, os executivos reclamam que falta visão ampla e proatividade nos novos profissionais que entram no mercado de trabalho. Muito poderia ser debatido sobre essa afirmação. No entanto, vamos tomá-la como verdadeira para construirmos um cenário para a causa do problema.

O primeiro deles se refere à universidade no Brasil, guardando sempre as exceções. Não se pode generalizar. Porém, quando participo dos diálogos e seminários acadêmicos, os alunos reclamam que seus estudos não vem junto com a prática. De uma forma geral, eles reclamam que, durante a faculdade, muitos de seus professores não têm experiência prática naquilo que ensinam. Se isso for de fato verdade, o aluno terá que esperar o dia que ele estiver na empresa para analisar se o que estudou na faculdade de fato se aplica na prática. Não é simples resolver essa distância entre teoria e prática. Países como Noruega e Dinamarca investem pesado em fazer com que haja uma grande aproximação entre universidade e empresas. Algumas empresas investem em professores universitários para desenvolverem suas pesquisas.

Na verdade, o que países como Alemanha, Noruega e Dinamarca fazem é a construção de um projeto de desenvolvimento e pesquisa continuado. Toda empresa que deseja sucesso na área em que atua precisa investir em novas tecnologias que melhorem o processo. Na teoria da Gestão Inteira (GI), quando o processo de produção de uma empresa é estudado de forma integral e inteira, descobre-se exatamente os pontos onde ele está sendo ineficiente. Ineficiência significa perda E impacto negativo na lucratividade. Esse processo ineficiente pode ser melhorado de diversas formas na Gestão Inteira, porém, a pesquisa de desenvolvimento constantemente no processo empresarial serve exatamente para que, a cada ano, a empresa alcance qualidade, segurança e rapidez, entregando um produto ou serviço que surpreenda as expectativas do cliente. Portanto, a parceira entre empresa e universidade no Brasil depende da mudança de cultura tanto nas universidades quanto nas empresas. Estamos diante de um grande desafio!

Dell Delambre, PhD. (Coach WTS e Consultor em Sustentabilidade)

Indicação de Coach WTS:

Cordeiro, Léia. Gestão estratégica de pessoas. Curitiba: IESD Brasil S.A. 2010.

(Visited 322 times, 7 visits today)

Coach WTS e Consultor em Sustentabilidade. Premiado pela UNESCO e no Jornal Folha Dirigida. Doutor, Conferencista e Professor Universitário.

Próximo ArtigoEnergias Renováveis, o Presente do Futuro