LIDERAR NUNCA MAIS SERÁ DO MESMO JEITO. O NOVO TEMPO NASCEU!

É possível aproveitar esse período no mundo para refletir sobre questões profundas e uma delas é a formação de liderança.

Na WTS, desenvolvemos um programa de treinamentos com a metodologia de Coaching que está sendo totalmente atualizado. No Business Coaching, o papel central da nossa metodologia é preparar CEOs, diretores e empreendedores para grandes Tensões de Mudança do nosso século.

Essa preparação precisa ser maior ainda. Nessa foto, nós preparávamos colaboradores e lideranças de uma empresa para enfrentar mudanças. Seguem algumas recomendações para enfrentar a crise que podem ser importantes no retorno às atividades:

1) Foque nas pessoas. Seu time estará altamente fragilizado, com medo de ser demitido e vulnerável. Se você for um líder do modelo que já morreu, você vai querer usar o medo a fim de que eles sejam produtivos. Isso não funciona mais. Só aumenta o número de pessoas no centro médico e de licença. Você já fez o cálculo para preparar um colaborador para substituir outro que ficou esgotado e doente?

2) Construa com eles as alternativas. Quando as pessoas fazem parte das decisões, elas têm muito mais chance de se engajarem nas soluções. Isso também tira um pouco peso das costas dos líderes. Em 2019, eu fui dar uma palestra numa das maiores empresas do mundo, com filiais no México e Estados Unidos. Eles já estavam utilizando uma metodologia de engajamento no qual quem estava na área do problema recebia treinamento e preparação para tentar solucionar o problema.

3) Fique atento à era exponencial. Em nossa teoria, nós chamamos de tensão exponencial. Isso vai mudar tudo. As corporações, as escolas, as universidades e a sociedade nunca mais serão as mesmas após o COVID 19. Será necessário começar tudo de novo para entender os impactos dessa experiência traumática na vida das pessoas e no sistema de produção.

4) Prepare as pessoas para serem líderes dos seus sonhos. Essa é a demando do século. Após uma travessia tão pesada como essa, muitas pessoas precisarão ainda mais de esperança e menos de metas doentias, a meta terá que estar vinculada a sua capacidade de ascender nas pessoas o sonho, a criatividade e a certeza de que elas mais uma vez não estão pagando o preço sozinhas de um problema com causas e consequências mundiais e transnacionais.

5) Busque compartilhar benefícios assim como se compartilham as responsabilidades e obrigações. Agora o tempo nasceu de vez e você precisa ser criativo, sensível e exponencialmente ligeiro para não dormir no ponto enquanto o mundo é empurrado para entrar numa nova época.

Dell Delambre, Dr. (WTS Coach & Criador da Teoria da Tensão)

COMO AGIR DENTRO DA CRISE?

Diante de um cenário de crise, não é possível utilizar os mesmos critérios que foram usados num cenário favorável. A crise, seja ela qual for, exige mudanças, cuidados, planejamento e análise consistente da situação. O momento de crise apresenta dados que não estavam presentes em condições normais. Por que um número grande de empresa que fecharam as portas aumentou desde o momento que o Brasil entrou num processo de desaceleração da economia?

Para responder a pergunta é preciso fazer uma análise mais ampla, cruzando diversas informações. Esse trabalho exigiria quase que uma pesquisa acadêmica. Não é meu objetivo aqui. O que desejo apenas é partir do pressuposto que as empresas fecharam. Levando em consideração todos os riscos que existem na manutenção de uma empresa com altas cargas de impostos como no Brasil, é necessário alguns cuidados para sobreviver às crises.

Conversei com um empresário e ele relatou que solicitou uma proposta de serviço à determinada empresa que disse que a entregaria em uma semana e finalizou em três. Em outro caso, a proposta de serviço era gerada diretamente no site da empresa. No site, estava escrito que a proposta detalhada ficaria pronta em 4 dias, mas eles gastaram duas semanas para fazer o contato. Poderia citar aqui inúmeros exemplos de modelos gestão do negócio que, numa situação de crise e competitividade, as não suportam a pressão. São processos inchados, complexos, pesados e bastante burocráticos.

Num cenário de escassez de serviços e abundancia de produtos na praça, é fundamental ter diferenciais. O diferencial pode ser no preço, na qualidade do serviço, na rapidez da entrega e, principalmente, na capacidade de atender integralmente as necessidades de cliente. É justamente nesse ponto que muitas empresas pecam. As empresas, como qualquer outra organização social, possuem identidades que formam a cultura da empresa.

Uma organização que sobreviveu por vários anos de forma desorganizada dificilmente conseguirá imprimir grande mudança para enfrentar a crise de forma eficiente. Nesse sentido, a crise pode ser a grande chance que sua empresa tem para se tornar uma empresa de sucesso. Nesse quesito não há mágica, é preciso fazer o dever de casa. Comece compreendendo o que é a sua empresa, o que ela realmente faz. Na crise, existe uma tendência de atirar para todo lado. Não adiante, outros estão atirando também. Se começar um novo negócio em tempos normais exige cuidado, imagina num cenário no qual sua empresa não tem expertise.

Porém, não significa que o novo está descartado. O novo pode ser uma grande oportunidade. Mas a escolha precisa ser feita com consultoria aos especialistas da área, planejamento, construção de plano de negócio, planejamento estratégico e plano de ação. Entretanto, em cenários incertos, não é aconselhável fazer mudanças bruscas e investir todos os recursos numa área que você não consegui prever cenários futuros com dados concretos. Infelizmente, muitas empresas, que não fazem corretamente o dever de casa, estão chamando incompetência e desorganização de crise.

Dell Delambre, Dr. (WTS Coach & Criador da Teoria da Tensão)